Skip links

A tradição das barbearias

Leia a seguir um pouco mais sobre a história das barbearias, conheça as barbearias mais antigas do mundo e se inspire para montar a sua ou trazer um toque de classe ao seu estabelecimento.

Na virada dos anos 2010, as barbearias – salões recheados de tradição e classe – se tornaram uma tendência mercadológica, conquistando um público jovem e antenado que cresceu em meio à decadência desse tipo de prestação de serviços. Com a popularização dos aparelhos de barbear eletrônicos e descartáveis, mas se apega à estética vintage. Sendo assim, as barbearias de hoje se tornaram uma ótima oportunidade de negócio, sendo muito procuradas principalmente nos grandes centros urbanos, cuja população está sempre em busca de novas experiências, mesmo que estas remetam a um passado distante.

A profissão de barbeiro é um dos ofícios mais antigos do mundo, e encontramos referências à “barber’s razor” (lâmina de barbear, em português) no já no Velho Testamento bíblico; existem, ainda, tumbas egípcias com pinturas que retratam a atividade de cortar cabelos, além de relíquias mumificadas de lâminas com aproximadamente 6 mil anos de idade.

Foi na era de ouro da Grécia Antiga, entre 300 e 500 anos antes de Cristo, que a barbearia ganhou o status de técnica artística que persiste até hoje, dado o grande prestígio social dado aos barbeiros, sobretudo na cultura ocidental. Na Idade Média, os barbeiros eram tão importantes que também eram acionados pela população para curar feridas e realizar pequenas cirurgias, como a extração de dentes; foi apenas após o século XVII, com o advento da ciência – e da medicina – moderna, que os barbeiros passaram a se dedicar apenas aos cuidados com barba e cabelos masculinos, dando início à cultura da cosmetologia.

Nos Estados Unidos, a profissão de barbeiro é tão importante que, para além da técnica e simpatia, esses profissionais precisam ter, em alguns estados – como em Indiana, por exemplo -, uma licença para atuarem como barbeiros, que é concedida pelo governo estadual e exibida na parede da barbearia em que o profissional atua. Para obter essa licença, vários critérios são levados em consideração, como, por exemplo, não ter nenhum registro de ficha criminal, ter um tempo mínimo de prática ou idade mínima, entre outros requisitos.

Desde os primórdios, enfim, as barbearias são tidas como espaços que vão além de sua atividade-fim, de cuidado com a aparência e culto ao corpo, sendo vistas também como um lugar privilegiado de troca de informações e socialização de homens das mais diversas classes sociais e profissões, já que a manutenção da barba é, historicamente, um símbolo de masculinidade, sabedoria, força e até espiritualidade, em alguns países do ocidente.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a origem das barbearias, conheça abaixo algumas das barbearias mais tradicionais do mundo, cujas técnicas, serviços e produtos foram passados de geração em geração e hoje são consideradas pontos turísticos de referência nas principais capitais da Europa, exportando tendências para diversos países.

  1. Truefitt & Hill (Londres, Reino Unido)

A Truefitt & Hill é considerada a barbearia mais antiga do mundo, tendo sido fundada em 1805, por William Francis Truefitt. No início, a barbearia fabricava perucas para o Rei George III e outros membros da aristocracia britânica, mas depois, com a queda da moda das perucas, continuou seu legado oferecendo serviços de corte de cabelo e barba para os londrinos.

Atualmente, a barbearia oferece também cosméticos masculinos, como géis pós-barba, acessórios para barbear, xampus e cremes para o cabelo, perfumes e produtos para manicure.

Desde o início, a Truefitt & Hill é a barbearia de referência da aristocracia britânica, sendo responsável até hoje pelos cortes de cabelo de reis, príncipes e outros membros da nobreza. Também é frequentada por presidentes, primeiros-ministros, escritores e celebridades da atualidade, como Leonardo Di Caprio.

  1. Antica Barbieria Colla (Milão, Itália)

Localizada no coração de Milão, a Antica Barbieria Colla foi uma das primeiras barbearias abertas na cidade, tendo sida fundada em 1904. Até hoje a loja funciona no mesmo endereço, portanto, a experiência vintage oferecida pelo local vai além da decoração original, passando pela preservação do prédio e dos funcionários que ali trabalharam. Por esse motivo, a barbearia também é reconhecida pela prefeitura da cidade como Patrimônio Histórico de Milão.

A barbearia também é famosa por atender estrelas do cinema e do teatro italiano, como Luchino Visconti e Gianluca Migliarotti, que dirigiram curtas sobre a história do lugar e de Francisco Bompieri, um dos barbeiros mais antigos do local.

No tratamento das barbas, os pinceis utilizados são de pêlos de porco branco esterelizados, uma tradição na Itália, as sessões duram vinte minutos e são conhecidas por sua propriedade relaxante, já que o local é bastante silencioso e aconchegante. Também oferecem massagens a seco e hidratantes na barba, que são feitas com o objetivo de polir o rosto (ou a barba) dos clientes.

  1. Alain Maître Barbier (Paris, França)

Localizada no tradicional bairro Marais, em Paris, a Alain Maître Barbier é uma das barbearias mais famosas e tradicionais da cidade. Decorada com acessórios de barbear, como lâminas, espelhos, quadros, pinceis e outros acessórios cheios de história, a barbearia também é um espaço museológico, que conta a história dos barbeiros que passaram por lá e por Paris. Por esse motivo, costuma ser utilizada também para locação de filmes e ensaios fotográficos.

A barbearia é muito procurada por cavalheiros que buscam uma experiência de retorno ao passado, pois Alain se orgulha de oferecer um serviço baseado nos princípios tradicionais da barbearia, como a utilização de toalhas quentes, pinceis de texugo e modelagens diversas de bigode “à la parisienne”.

O serviço oferecido por Alain preza tanto pela tradição e personalidade, que os clientes mais frequentes na barbearia possuem uma lâmina própria, acondicionada dentro do arquivo da barbearia junto com nome e endereço. O toque da contemporaneidade fica por conta dos cursos de autobarbear oferecidos por Alain fora do horário de funcionamento da barbearia, que abre apenas em dias específicos.

 

  1. Fellow Barber (Nova York, EUA)

A Fellow Barber foi fundada em 2006, mas a experiência oferecida pelos funcionários da loja tem como proposta o resgate das tradições da barbearia que haviam sido perdidas nas grandes metrópoles norte-americanas.

O sucesso da proposta foi tanto que o dono, Sam Buffa, expandiu o negócio e abriu mais quatro filiais da loja, sendo três em Nova York – para atender a grande demanda de público – e uma em São Francisco, na Califórnia.

Cada unidade da Fellow Barber é decorada resgatando elementos das tradicionais barbearias italianas, utilizando objetos originais/restaurados que datam do início do século XX, e varia de acordo com a localização das lojas. No entanto, os serviços oferecidos são os mesmos em todas as unidades, que trabalham com releituras contemporâneas de cortes tradicionais de barba e cabelo, além de venderem cosméticos masculinos fabricados pela própria marca.

 

  1. Geo. F. Trumper (Londres, Reino Unido)

A Geo F Trumper é, também, uma das barbearias mais tradicionais de Londres. A marca é mais conhecida pela fabricação de perfumes, colônias e produtos para a barba, vendidas em frascos que preservam a tradição das barbearias do final do século XIX e ficam expostos em vitrines que transportam o cliente direto para as boticas do passado.

Dentro do espaço, as bancadas de trabalho de cada barbeiro são divididas por cabines de mogno, instaladas na época da fundação da loja para preservar a identidade de seus clientes ilustres, compostos, em sua maioria, por membros da realeza e da Câmara dos Lordes inglesa.

Para os cortes de cabelo e barba, a Trumper oferece o serviço de consultoria de imagem para oferecer ao cliente os cortes que mais favorecem seu tipo de rosto e estilo, além de dicas para cuidar da barba e do cabelo. Atualmente, a loja também vende diversos produtos vintage ligados ao universo masculino, como abotoaduras, lenços de bolso e golas rígidas, muito utilizadas à época de fundação da loja e procuradas por colecionadores e apreciadores de antiguidades.  

 

 

%d blogueiros gostam disto: